Quer um emprego? Pergunte-me como!


Notícias sobre Vendas Diretas no Brasil



Marco Sanchotene
Gazeta do Povo - Curitiba, Classificados, 2

Os anúncios estão por toda a parte, no jornal, na Internet, estampados em carros ou em cartazes na rua, e sempre dizem a mesma coisa: “Trabalhe em casa, faça seus horários e ganhe de R$ 1 mil a R$ 10 mil por mês em vendas diretas!”. A maior parte das pessoas desconfia, mas quem acredita diz que o negócio dá certo e que é uma boa oportunidade para quem está desempregado. Tanto que o setor está crescendo, apesar da inércia do mercado de trabalho formal. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (Abevd), no 1.º trimestre deste ano o setor manteve crescimento e movimentou R$ 2,9 bilhões, 10% a mais do que no mesmo período do ano passado, em números corrigidos pela inflação. Além do aumento na receita, a quantidade de revendedores ativos também aumentou 10% – de 1,5 milhão para 1,65 milhão – e o volume de ítens comercializados cresceu 7,5% – 20 milhões a mais do que os 250 milhões vendidos no mesmo período de 2005.


 Os números impressionam, mas o sistema de vendas diretas permite que a pessoa comece com um baixo investimento e sem formação específica. Basta ter força de vontade e determinação para que o retorno venha de forma rápida. É o que comprova a consultora Denise Pozzo, da Natura. Formada em Arquitetura e Urbanismo, Denise largou a profissão para criar seus filhos e quando tentou voltar encontrou um mercado diferente, que exigia atualização. “Quando saí, usávamos prancheta. Quando quis voltar estava tudo computadorizado e eu não acompanhava”, relembra. 

Há cinco anos, lendo os classificados de um jornal, Denise viu um anúncio da Natura que procurava vendedores e resolveu se informar. Dias depois ela recebeu uma promotora em sua casa, se interessou pelos produtos e começou a vender. “Foi como a última tentativa para conseguir emprego, mas depois que comecei vi que dava certo”, conta. O primeiro ano foi o mais difícil. 

“A gente tem vergonha de chegar nas pessoas para apresentar o produto. Nesse período ou a pessoa fica de vez ou sai”, afirma a consultora. Agora, ela consegue uma renda líquida de R$ 1 mil ao mês vendendo os produtos da Natura. Elayne Amaral, supervisora da Herbalife, conta uma história semelhante. A diferença é que ela conheceu os produtos com o marido em um jantar na casa de um amigo. “Fomos convidados para uma apresentação, nos interessamos e compramos. 

Como deu certo, achamos que era uma oportunidade de negócio”, fala. Isto foi há um ano. No primeiro mês como vendedora, Elayne ganhou cerca de R$ 700. No segundo, o valor subiu para R$ 950. Agora, a renda é de R$ 2,3 mil e representa uma parte importante no orçamento da família. “Os ganhos foram só aumentando. Agora recebo ‘royalties’ por auxiliar outras vendedoras”, conta. ParaFernando Junqueira, diretor-geral da Forever Living no Brasil, outra empresa que trabalha com vendas diretas, a vantagem do sistema é que os produtos são mais fáceis de vender, pois os preços costumam ser bem mais baratos do que numa loja. 

“Pelo sistema tradicional, o fabricante vende o produto para um intermediário, que vende para a loja, que vende ao cliente, enquanto no nosso sistema o produto vai do fabricante para o vendedor, o que elimina gastos”, justifica. Além disso, a venda pode servir como atividade complementar, que não atrapalha o trabalho principal. “A pessoa pode trabalhar em casa, nas horas vagas”, acrescenta. De acordo com o diretor-geral, outra facilidade é que a propaganda é feita no boca-a-boca, pelos próprios clientes. Outra empresa que oferece emprego pelo sistema de vendas diretas é a Avon. 


“O bom é que a pessoa pode começar do zero, sem investimento. Ela recebe o folheto, encomenda os produtos que vai vender e só depois precisa pagar”, conta Nivaldo Frutuoso, gerente de vendas para a região Sul da Avon Brasil. “A oportunidade é aberta para todos, até homens”, adiciona.

Preocupação com bem-estar impulsiona vendas

Natura, Forever Living, Herbalife e Avon têm outra característica em comum além de usar o sistema de vendas diretas: todas apostam em produtos para beleza e saúde, de preferência naturais, como cosméticossuplementos alimentares e produtos de higiene. O negócio cresce justamente na esteira da preocupação com o bem-estar e qualidade de vida. “No mundo inteiro isso tem prosperado muito, principalmente nos ramos de bem-estar, saúde e nutrição. 

Nos Estados Unidos, percebeu-se que a classe média alta começa a se preocupar com sua saúde e aparência quando já comprou um carro, uma casa e criou os filhos. Esse é um consumidor com um poder de compra muito alto”, explica Fernando Junqueira, diretor-geral da Forever Living no Brasil. Normalmente, quem começa a vender é a pessoa que já usa o produto e confia na eficácia dele. É o que diz Elayne Amaral, supervisora da Herbalife. “A pessoa precisa usar e gostar dos produtos. Eu não entendia nada de vendas diretas, mas os produtos da Herbalife lidam com o bem-estar e isso que é gostoso: ver as pessoas felizes, quando sentem os resultados. Isso dá muita satisfação”, completa.

Empresas oferecem treinamento e cursos a vendedores

As empresas que trabalham com venda direta têm diferentes meios de premiar os vendedores mais ativos. A Forever Living, por exemplo, divide os lucros a cada ano. “No ano passado demos R$ 1,4 milhão. Alguns distribuidores ganharam R$ 10 mil, outros R$ 30 mil, enquanto uma pessoa sozinha recebeu R$ 712 mil”, conta Fernando Junqueira, diretor-geral da empresa no Brasil. “Tem gente que ganha R$ 1 mil por mês e está bom. Alguns querem ganhar mais e passam a se dedicar inteiramente ao trabalho e a empresa dá ferramentas para isso”, acrescenta. 

Junqueira se refere aos treinamentos que a Forever Living oferece para os distribuidores, gratuitamente. Na Herbalife também é assim. “Eles dão todo o desenvolvimento necessário”, conta Elayne Amaral, supervisora da empresa. O sistema de premiação é um pouco diferente, mas permite à pessoa deixar de vender para se tornar supervisor e cuidar apenas de uma rede de vendedores. 

“Se eles também estiverem vendendo, você passa a receber 2%, 5% ou 7% do valor”, explica Elayne. A Natura é outra que investe na capacitação das consultoras. “A empresa dá um verdadeiro suporte ao trabalho da consultora. O objetivo é que, com o treinamento e o acesso aos mais variados cursos, ela se torne uma especialista nos produtos, sabendo realmente orientar e aconselhar os clientes”, afirma o gerente de Mercado da Região Sul da empresa, Pedro Gonzales. Além disso, adiciona o gerente, a consultora com anos de casa recebe incentivo às vendas e pode visitar a empresa.

Comece a vender

Para ser bem sucedido no ramo de vendas diretas, siga as dicas dos especialistas:
Aprenda a se relacionar com as outras pessoas. Não adianta querer vender sem saber conversar como todo o tipo de gente.
Tenha uma boa rede de contatos, para facilitar a divulgação dos produtos que você está vendendo.
Tenha iniciativa, disposição e seja otimista, já que existem inúmeras barreiras para alcançar o sucesso.
Trabalhe com planejamento e estabeleça metas. É preciso ser muito organizado para aproveitar bem o tempo disponível e ganhar mais.
Tenha seriedade, como em qualquer outra atividade.

(Fonte:http://www.abevd.org.br)

Nos últimos dias vários jornais publicaram notícias sobre o crescimento das Vendas Diretas no Brasil, veja os links abaixo e leia mais:
– Vendas diretas ao consumidor crescem 21,2% no primeiro semestre - O Dia – SP - 10/8/2010 pág: 03- Vendas diretas crescem 16% no 1º semestre - Diário do Povo - Campinas - 10/8/2010 pág: 07- Vendas de porta em porta crescem mais de 21% - Jornal do Comercio Brasil - RJ – 10/8/2010 pág: A-3- Levantamento aponta que vendas diretas ao consumidor crescem 21,2% - Brasil Econômico - SP - 10/8/2010 pág: 33- Porta em porta - Agora São Paulo - SP - 10/8/2010 pág: A9- Venda direta cresce 21,2% no 1º semestre - Diário do Grande ABC-Sto. André, 10/8/2010 pág: 4- Vendas diretas ao consumidor - Empresas & Negócios - SP - 10/8/2010 pág: 01- Vendas diretas ao consumidor crescem 21,2% no 1° semestre - Jornal Corporativo - RJ - 10/8/2010 pág: 05- Setor de vendas diretas movimenta R$ 11,8 bi no 1° semestre de 2010 - O Estado do Maranhão - São Luís - 30/7/2010 pág: 08- Venda porta a porta registra alta de 21,2% no 1° semestre - Correio Popular - Campinas - 4/8/2010 pág: B2- Setor de vendas diretas movimenta R$ 11,8 bilhões, superando 2009 - Jornal do Commércio - Manaus - 29/7/2010 pág: C1- Venda direta em alta - O Estado do Paraná - Curitiba - 10/8/2010 pág: 11- Setor de vendas diretas emprega 2,6 milhões de revendedores - Jornal O Popular - Goiânia - 9/8/2010 pág: 11- Vendas diretas crescem 21,1% no semestre - O Fluminense - Niterói - 8/8/2010 pág: 06- Venda do comércio é recorde - Hoje em Dia - BH - 10/8/2010 pág: 11- Vendas do Dia dos Pais crescem 7% este ano - Jornal do Brasil - RJ - 10/8/2010 pág: A13
(Fonte:ABEVD Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas - http://www.abevd.org.br/ -Post.: Eq.ML-FLP-SP

CLIQUE AQUI E CADASTRE-SE GRATUITAMENTE NA FOREVER LIVING BRASIL
Share on Google Plus

About ACADEMIA Á.O.

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Cadastre para saber mais

CADASTRE PARA RECEBER DICAS DE SAÚDE:

PatrocínioFeedBurner